LOST IN FASHION, COM LIU BOLIN

O artista chinês Liu Bolin, 39, ficou conhecido por sua série de fotografias, intitulada “Hiding in the City” – onde, através de uma técnica perfeita de pintura, luz, escala, proporção e perspectiva, mimetiza-se com o backgound fotografado.

Foto por Liu Bolin. Reprodução.

Sim, Liu faz parte de sua obra nas fotos e, aliás, é bem esse um dos questionamentos propostos pelo artista – essa relação entre o autor e a sua obra. Onde estão os limites entre o criador e a criatura? O artista está imerso em sua obra, sempre, destruí-la é distruir sua própria vida. Mas, ao mesmo tempo, Bolin provoca a sutil reflexão sobre a real invisibilidade dos seres humanos no mundo o qual habitam.

Foto por Liu Bolin. Reprodução.

Em 2005, Liu Bolin viu sua vila de artistas ser arruinada pelo governo chinês e, para ele, “Hiding in the City” é um grito de protesto contra a ditadura na China. “É muito difícil viver como artista em Beijing – afirmou à Haper´s Bazaar. Mas onde está fácil, Bolin, onde está?

Jean Paul Gaultier in process pelas mãos de Liu Bolin e Alber Elbaz no detalhe. Fotos por Lana Brow, via Haper´s Bazaar.com

E vai daí que a publicação propôs a Liu Bolin fazer o mesmo, mas com top estilistas como Angela Missoni, Jean Paul Gaultier, Alber Elbaz (Lanvin), Pierpaolo Piccioli e Maria Grazia Chiuri (Valentino) – no projeto LOST IN FASHION.

Um bom questionamento para o mundo todo, no sentido de começarmos a valorizar também os designers – e não só as marcas. Talvez, esse seja um recado a ser dado principalmente a China, porque o ctrl+c, ctrl+v lá está bem difícil, né, gente? Até sacola de papel das lojas de grifes, como Chanel, o pessoal está falsificando… Coisa sem sentido é isso aí.

E se você fosse invisível de verdade? Para a Haaper´s Bazaar eles respondem e eu traduzo para vocês:

Foto por Liu Bolin. Reprodução via Haper´s Bazaar.com

“Se eu fosse invisível, não sei o que faria. Eu não teria com quem interagir! Teria de ser apenas por um momento, não por toda a vida! Não acredito que eu aproveitaria o momento para espionar, para descobrir se as pessoas me amam mesmo, de verdade. Talvez eu me tornaria um depressivo. Então (risos), eu acho que morreria”Jean Paul Gaultier.

Foto por Liu Bolin. Reprodução Haper´s Bazaar.com.

“Como designer, eu não sou um tipo exibicionista. Estou mais para um voyeur. Tudo o que eu mais tento ser na vida é invisível” – Alber Elbaz, Lanvin.

Foto por Liu Bolin. Reprodução Haper´s Bazaar.com
“Eu ficaria só, comigo mesmo. Só eu” – Pierpaolo Piccioli; “Eu usaria peças de outros designers (risos). Seria muito bom, para mim” – Maria Grazia Chiuri.
Foto por Liu Bolin. Reprodução via Haper´s Bazaar.com

“Eu sou a Missoni em pessoa, então eu quis desaparecer totalmente no meu tecido. Mas, se eu pudesse ser/estar invisível, eu abandonaria minhas roupas por um dia. Eu estaria invisível e nua” – Angela Missoni.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s