SPEEDFACTORY: ADIDAS ACELERA NA LINHA DE FRENTE DOS SNEAKERS

Em Ansbach, na Bavária, a fábrica 4.0 de calçados também está sendo desenhada.

futurecraft_speedfactory_2
©Divulgação.

“O futuro da manufatura pode ser sobre materiais diferentes ou produzir características e funções que nós não consideramos ainda. Mas também pode ser sobre novas tecnologias de produção e novas formas de engajar nossos consumidores e suas necessidades. Nos colocamos novas perguntas a todo momento, por exemplo, como ser mais rápidos e mais flexíveis, ou que tipo de legado ambiental podemos deixar?” Gerd Manz, Diretor de Inovação na Adidas.

O futuro da manufatura para o Grupo Adidas tem nome: Speedfactory. A empresa já aventa há dois anos a construção de uma fábrica que faz parte do programa nacional alemão “Autonomia para a Indústria 4.0”, contribuindo para realizar estratégias ligadas à alta tecnologia até 2020, com foco na nova era da produção em série de calçados.

Combinando as últimas novidades em tecnologia da informação e comunicação, produção industrial, materiais e produtos inovadores e disruptivos, com tecnologia e eficiência energética e sustentabilidade, a Speedfactory tem previsão para ter produção inaugurada ainda em 2017, em Ansbach, na Bavária.

Autonomia das máquinas através do cérebro humano

O objetivo da fábrica é impulsionar o desenvolvimento de sistemas autônomos de produção, estabelecendo a Alemanha como um líder industrial com tecnologias inovadoras baseadas na inteligência da rede. A Speedfactory é no fundo um projeto de pesquisa, cujos tópicos incluem logística de produção, tecnologias com base cognitiva, interação homem-máquina e aplicação industrial do 3D.

futurecraft_3d_1
©Divulgação.

A transformação da fábrica num ambiente configurado por robôs não quer dizer, numa visão mais ampla, que postos de trabalho serão suprimidos em função de tais máquinas. O operário (ser humano) do novo milênio não é mais especializado numa atividade específica, que será realmente executada dentro de pouco tempo apenas por robôs, de forma autônoma, como no caso da SpeedFactory. A solicitação será de um sujeito com conhecimento técnico e tecnológico voltado para a gestão dessas máquinas.

Briga das boas na Europa

No páreo, a Itália também se lança no jogo da indústria 4.0 e das novas tecnologias aplicadas ao Made in Italy, selo de ouro que endossa a tradição secular do trabalho artesanal, agora, com uma linha de frente que envolve ações desde a escola, com a formação de novo atores com background tecnológico para atuar nesse novo setor que começa finalmente a deslanchar. Na terra do Arduino, além do governo, pequenos, grandes empresários e artesãos reconhecem agora a importância de se introduzir o pensamento digital no universo da maestria manual, apontando a economia para o futuro.

Futurecraft 3D

futurecraft_3d_2
©Divulgação.

Com um tipo de sola impressa em 3D, configurada com base nas necessidades de uso de cada tipo de pessoa, o Futurecraft 3D da Adidas é um tênis de corrida que melhora a perfomance do atleta. Trata-se de uma cópia em carbono flexível da sua pegada, combinando o contorno dos pés com pontos de pressão, resultado de uma base de dados pessoal e scannerização. Produzido sob medida para a experiência vivenciada nas corridas de cada dia.

A Adidas afirma que esse terreno da série Futurecraft é calcado em muitas pesquisas, materiais inovadores e processos não menos inovativos, casando qualidade do artesanato e prototipação com as tecnologias da nova manufatura. Fast, raw and real – é o mote da abordagem de design da marca.

Num esquema de parceria open source com a Materialise, especializada em impressão 3D, a série Futurecraft inova, ainda, com esse tipo de visão colaborativa também na criação. O suporte da impressão 3D é um dos alicerces da Speedfactory, que já assina como a porta de entrada para o futuro dos sneakers.

Inovação, inovação, inovação: mas com sustentabilidade.

futurecraft_leather_1
©Divulgação.

Arquivos de impressão em 3D de calçados projetados e pensados remotamente, que chegam através da internet e são baixados para serem produzidos num ambiente mais limpo e ecológico, com menos agentes contaminantes do ar, do solo e da água, além das próprias pessoas que trabalham no espaço.

Almejando o posto de linha de frente da inovação, o Grupo Adidas não mede esforços em pesquisa e melhorias sustentáveis. Uma delas é o DryDye, tecnologia que elimina a necessidade de água no processo de tingimento. Outro é o Manufacturing Excellence Programme, estratégia que envolve todos os tipos de projetos do Grupo, visando otimizar a engenharia e a manufatura dos seus produtos.

Além da parceria com a Materialise, a BASF também é outra cooperação de base tecnológica na empresa, com o objetivo de trazer à tona inovações destinadas ao futuro da manufatura dos calçados, mais especificamente no caso da Adidas, dos sneakers que vamos querer usar no futuro.

Que é hoje.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s